BDSM – Você sabe o que quer dizer?

BDSM - Você realmente sabe o que é?

Você já deve ter ouvido por aí muitas pessoas comentarem que praticam BDSM com seus parceiros. Hoje em dia se tornou algo comum, inclusive em músicas e brincadeiras. A verdade é que muitas dessas pessoas não sabem o que realmente essas siglas querem dizer.

Para começar, BDSM é um acrônimo (palavra formada pela inicial de uma sucessão de palavras). Sendo assim, ao definirmos cada letra teremos então:

Índice de Conteúdo

ACRÔNIMO DE BDSM

  • B – Bondage e Disciplina
  • D – Dominação e Submissão
  • S – Sadismo
  • M- Masoquismo
bondage-acronimo

Como pode ver, descobrir o significado das palavras não ajuda muito a entender como essa prática funciona, mesmo para aqueles que são seus praticantes.

Na verdade, BDSM abrange uma gama muito grande de práticas (incluindo ações e omissões) que pretendemos ajudar você a desmistificar.

Mais interessante ainda, é saber que, nem sempre, essa prática é necessariamente acompanhada de sexo ou penetração.

Portanto, para melhor entendê-la, vamos explicar todos os passos, para que você possa entender melhor e “talvez” queira até se aventurar com o seu parceiro ou parceira.

BONDAGEM e DISCIPLINA em BDSM

bondage-amarração

Bondagem (ou Bondage) é derivado de uma palavra estrangeira que significa amarrar. Dessa forma, o Bondage mais tem a ver mais com os acessórios usados pelos praticantes do BDSM do que a sua prática propriamente dita.

Por isso, é muito comum o uso de máscaras, chicotes de diversos tamanhos e texturas, mordaças em forma de bastão, em forma de bola, que envolvem o rosto completamente etc.

Também, não podemos esquecer das famosas algemas, encontradas em diversos estilos, cores, com ou sem pelúcia, feitas em metal, tecidos etc. Isto sem falar dos separadores de mãos e pés, que abrem por completo as pernas do seu crush, colocando-a em posições bem “favoráveis” a algumas práticas sexuais. Ah, é claro! Não podemos deixar de falar nas amarras de tecidos e cordas de diversos tipos e tamanhos.

DOMINAÇÃO E SUBMISSÃO

Apesar de ser considerado para uns uma brincadeira ou algo peculiar, a verdade é que muitas pessoas só conseguem chegar ao orgasmo completo e satisfatório se sentindo dominado e completamente submisso por outra pessoa. Fato é que estas pessoas encaram a dominação e submissão como um verdadeiro estilo de vida.

Estilo de vida este que se torna viciante, e em alguns casos essa pessoa pode não conseguir sentir prazer sexual, caso não domine ou seja dominado por seu parceiro ou parceira.

Em alguns casos a necessidade da dominação e submissão vai além do prazer. Alguns estudos recentes indicam que algumas pessoas buscam nessas técnicas se sentirem cuidadas e protegidas pelo outro. Pois, para eles, a dominação é uma forma de lhes fazer sentir queridos e amados, como se sentiriam se estivessem sendo cuidados pelos seus pais.

Outra explicação é que, em alguns casos, são pessoas que passam o dia em seus trabalhos tomando decisões e “dominando” seus subordinados, então, na hora da sua intimidade, tem a vontade de inverter de papel.

Outro ponto que é importante frisar, é que tanto para o dominado quanto para o submisso, essa deve ser uma vontade espontânea, e que para dar certo, ambos devem estar totalmente alinhados com essas práticas.

Para quem ainda não conhece essas práticas, vale a pena experimentar devagar, começando com uma venda, ou algema, e deixando o seu par dominar, até mesmo um chicotinho pode ser uma boa pedida, mas muito cuidado para não assustar seu parceiro ou parceira indo com sede demais ao pote.

Algumas nomenclaturas para iniciantes

Se deseja conhecer melhor esse mundo do BDSM, então é bom aprender os nomes técnicos de quem pratica. O dominador se for do sexo masculino, tem a denominação de DOM. Se for do sexo feminino, dá-se o nome de DOMME. Já aquele ou aquela pessoa dominada é conhecida no meio como SUBMISSO ou SUBMISSA.

Outro termo que ficou bem conhecido recentemente é o LIFE STYLE TEMPORIZADO. Os praticantes se tornam praticamente “escravos” do dominador não apenas na cama, mas sim durante suas rotinas diárias. A prática dessa escravidão voluntária pode ocorrer por 24h, 48 horas, uma semana ou até mesmo um mês inteiro.

Outras variações de dominação e submissão são mais simples e até feitas no dia a dia sem saber que estão praticando BDSM. Por exemplo, proibir o parceira de chegar ao orgasmo por um longo período de tempo, parando sempre que ele está próximo ao ápice é uma forma de BDSM, além disso, existem vários jogos eróticos com cartas, tabuleiros e baralhos onde o submisso deve seguir as ordens e posições que forem sorteadas também é uma forma muito comum fora do círculo de praticantes mais assíduos.

Alguns exemplos de práticas de dominação e submissão são:

  • Ordem para beijar ou lamber os pés, inclusive há pessoas que são aficionadas nessa parte do corpo, chegando a pagar profissionais para que elas os deixem tocar em seus pés. Essa obsessão se chama podolatria.
  • A humilhação de passear com sua dona encoleirado e amordaçado pelo quarto e até mesmo pela casa ou quintal, também chamada de Dog Play.
  • A brincadeira do tratamento de SPA, ou seja, fazer o parceiro preparar banhos, fazer massagens, pentear os cabelos etc.
  • A privação do direito do parceiro em chegar ao orgasmo por um certo período etc.

SADISMO

sadismo-bdsm

Podemos definir a palavra sadismo como: Perversão caracterizada pela obtenção de prazer sexual com a humilhação ou sofrimento físico do outro. Isto tudo com extrema crueldade.

Mas calma aí, nas práticas BDSM não é bem assim que funciona. Esqueça a definição extrema da palavra, lembre-se de que na maioria das vezes, os praticantes do estilo BDSM, apenas querem dar uma apimentada básica em suas relações sexuais.

Porém, em alguns casos, bem lá no fundo, os praticantes da prática BDSM, sentem um pouquinho de orgulho em causar sofrimento (mesmo que tolerável) ao seu submisso e no fundo, quando os papéis invertem, também querem sentir este prazer na dor. Daí vem a contraparte do Sadismo, o Masoquismo.

MASOQUISMO

masoquismo-bdsm

Como dissemos, o Masoquismo é a contraparte de sadismo, ou seja, em termos técnicos é a necessidade caracterizada pela obtenção de prazer sexual a partir de sofrimento ou humilhação a que o próprio indivíduo se submete.

Na verdade, podemos definir o masoquismo como a outra face da mesma moeda que é o sadismo. Pois uma depende da outra para funcionar.

Para complementar, há locais especializados em receber este público especial para que este estilo de vida seja compartilhado entre seus simpatizantes. Falo dos MUNCHS, que são lugares especializados em simpatizantes e praticantes do BDSM.

Nestes lugares, os praticantes podem conversar e compartilhar suas experiências, praticarem festas fechadas e restritas etc. Também temos os clubes fetichistas abertos e fechados ao público em geral, os encontros marcados pelas redes sociais para a prática da luxúria, assim como motéis com suítes temáticas voltadas exclusivamente para o público BDSM.

metasexy-10 melhores sex shops pelo mundo que você deveria visitar pelo menos uma vez na vida

10 Sex Shops Mais Diferentes pelo Mundo

10 Sex Shops Mais Diferentes pelo Mundo Um famoso SexShop Brasileiro teve a ideia de…

 

Observa-se que a prática do BDSM vai muito além de uma simples brincadeira ou divertimento. Para alguns, é um verdadeiro estilo de vida que a cada dia está ganhando cada vez mais adeptos pelo mundo afora. Cada dia é mais fácil encontrar acessórios eróticos dessa modalidade em lojas especializadas.

Mas e aí, o que achou das práticas BDSM agora que conhece um pouco mais sobre essa prática do mundo erótico?

Gostou do conteúdo? Então nos siga nas redes sociais

Pimentinha Sex Shop

Empresa inovadora no ramo de sex shop virtual na região dos lagos - RJ com entrega em até 24h. Além disso, enviamos nossos produtos para todo o Brasil.

%d blogueiros gostam disto: